Publicado por: Guilherme Byrro Lopes | 09/09/2011

A reputação do BC


As recentes críticas em relação à decisão do BC de cortar em 0.5pp a taxa de juros Selic, para 12%a.a. tem um fundamento bastante claro. O que importa de maneira mais relevante não é cortar ou não cortar a taxa de juros, mas a comunicação e a transparência do BC com a sociedade. É importante que os agentes saibam como o BC age e quais suas prioridades, pois isso tudo afeta as expectativas. Se tem uma coisa que ninguém gosta é quando as expectativas são frustradas e isso vale pra qualquer situação. O que isso quer dizer? Quando um carro dá seta para esquerda, espera-se que ele vira pra esquerda e quando isso acontece, a vida continua. Quando o carro vira pra direita e todos esperavam a curva para esquerda, pois já havia sinalizado de tal forma, dai há frustração, quebra de expectativa e dúvidas sobre a capacidade do motorista. A analogia não é das mais originais, mas estende-se ao BC. Longe de dizer que o atual presidente não sabe dirigir o BC, a idéia é apenas que as setas estão confundindo os outros motoristas.

Como assim? O papel do BC até recentemente era o combate da inflação. É assim em todo lugar no mundo? Não, o BC brasileiro era praticamente um dos mais críveis e respeitados pelo combate à inflação, implantou o sistema de metas (atual meta de inflação de 4,5%) e com um grau de sucesso bastante alto perseguiu tal meta, até o ano passado. Apesar de não querer entrar na questão política e visando única e exclusivamente a análise econômica, como as duas coisas andam bastante ligadas, ainda sim preciso abordar de maneira rápida a questão política (e vale a minha visão sobre o assunto, mas cada um é convidado a ter sua própria ideologia). Dado o peso das eleições o BC o ano passado desistiu de uma política monetária mais séria que, como consequência, impactou as expectativas de inflação que não pararam de subir. Mas qual o problema? Acontece que, se eu acho que a inflação vai ser de 6% ao invés de 4%, no futuro, eu tomo ação hoje para pedir aumento salarial mais elevado, ajustar o nível de preços de produtos e serviços mais alto do que antes, tudo para manter o poder de compra relativamente inalterado e “guess what”, a nova expectativa passa a ser verdadeira, pois todos ajustaram os preços para perto de 6% ao invés de 4%. Isso se chama “profecia auto realizável” e o exemplo clássico é dado quando um banco saudável é considerado como um banco podre (uma avaliação errônea) e todas as pessoas correntistas correm ao banco para sacar seu dinheiro antes que o banco quebre. Qual o resultado?  O banco saudável de fato quebra!

Esse resultado serve para tudo? Com a inflação pelo menos, parece ser a mesma coisa. As pessoas formam expectativas sobre os preços, muitas delas capturadas pelo relatório FOCUS do BC, que coleta tais expectativas para uma série de indicadores econômicos. Quando a expectativa de inflação sobe, a chance de a inflação efetiva ser de fato mais alta cresce. Pela pesquisa FOCUS, segue que a inflação esperada para esse ano já chega a 6,38%, bastante acima da meta de 4,5%. Mas tudo bem, diz o BC, pois em 2012 a inflação deve convergir para 4,5%. Bom, se existe uma meta, porque em 2011 não persegui-la? Isso já não adianta, já que em 2010, conforme pode ser visto no gráfico, as últimas 3 reuniões do ano do COPOM não alteraram a política monetária e isso refletiu no aumento das expectativas da inflação de 2011. Mas será que está refletindo na inflação oficial (IPCA)? A inflação medida pelo IBGE já atinge 4,42% acumulada até agosto, ou seja, estamos na meta, mas falta 4 meses pra acabar o ano. Na minha modesta visão foi um erro do BC no passado não mexer em política monetária, mas politicamente falando, a eleição foi ganha pelo PT e pensando assim a estratégia foi válida (afinal, aumentar juros não é uma política popular). O que mais pode ser visto no gráfico? Que a degradação das expectativas começou em 2010 e em 2011 não foi assim tão melhor (uma vez que o BC comunicou que não ia buscar o centro da meta esse ano). O que acontece quando o BC desiste da meta sendo que a meta pauta a existência do BC? Ele perde credibilidade! O que acontece quando perde credibilidade? Ninguém acredita na seriedade do BC.

Recentemente o BC cortou os juros enquanto ninguém acreditava que seria possível. O BC não sabe o que faz? Errado, o BC sabe o que faz e tem muito mais informações do que o mercado ou qualquer outro agente econômico. O problema é que a inflação não está sobre o controle que o BC diz que persegue. Então o que o BC persegue? É isso o que todos querem saber, para poder criar expectativas corretas. Pelo mesmo gráfico é possível ver que a expectativa de inflação para 2012 também está acima da meta e uma queda da taxa de juros não indica que o BC vai combater a inflação. O que isso quer dizer? Será que a meta de inflação para 2012 também não vai ser perseguida? Não dá pra saber pois o BC está se comunicando mal com a sociedade sobre seus objetivos. Nos EUA, por exemplo, o FED não prioriza a inflação como o BC, mas considera também a atividade econômica, de maneira que é um objetivo duplo. Até agora o BC não disse isso de fato, mas é o que parece. Significa que o BC vai perseguir uma taxa de crescimento da ordem de 3,5% ou 4,5%? E como fica a inflação? Não dá pra saber, pois o BC não diz nada. E como formar expectativas nesse cenário? As expectativas se formam em torno de muita incerteza!

Até agora, a inflação mensal de 2011 superou 2010 em todos os meses, mas o BC acredita que em outubro deva começar as abaixar. Eu espero que sim, mas enquanto isso só nos resta criar expectativas num ambiente crescente de incerteza. Há certa desconfiança de que a economia internacional vai perder fôlego e por isso deve reduzir o ritmo de exportações do país. Apesar disso, as importações continuam em alta e a pressão sobre os preços é visível. Continuar a redução de juros não é certo ou errado, mas é um risco de colocar a política monetária e a credibilidade do BC em combater a inflação em xeque. O que pode dar certo? Se a avaliação e a magnitude dos riscos internacionais estiverem corretas, a queda na atividade econômica via exportações pode significar um PIPB mais baixo, se os preços das commodities cair, o PIB pode ser mais baixo, mas isso de nada faz a inflação interna cair. Os preços dos serviços principalmente estão em alta, mas são várias as categorias que pressionam os preços. Acreditar que a volta dos preços dos alimentos em geral, vindo de uma demanda externa mais fraca, vai resolver o problema é um pouco ingênuo, pois o resto vai continuar a subir (segue a tabela que o IBGE divulga os dados do IPCA). Vale lembrar que o projeto orçamentário para o ano que vem prevê aumento de mais de 13% no salário mínimo (que vai pressionar a inflação, como ocorre naturalmente com o aumento da renda), que a queda dos juros incentiva o investimento e o aumento do investimento pressiona no curto prazo a inflação (pois aumenta a demanda por bens e serviços), que juros mais baixo incentivam o consumo (que pressiona os preços) e causam o endividamento das famílias (que não param de crescer e pode aumentar o risco de inadimplência no futuro). Mas os juros no Brasil não tem que cair? Tem! E esse é o momento certo? Talvez não! Eu sou daqueles que acredita, com a informação que tenho até agora, que a inflação vai ficar acima da meta pelo menos até 2014, que a divida pública vai aumentar até a copa do mundo e possivelmente ainda até os jogos olímpicos (talvez de maneira mais regional), que o PIB potencial é de 4,5% só nos próximos anos, mas deve ser menor do que isso num prazo maior, que o Brasil não reúne condições para planejar seu futuro, que a conjuntura econômica vai degradar até as próximas eleições (mantendo a atividade econômica num nível insustentável, mas pressionado pela festa política de forçar gastos), que o trem bala vai ficar pra depois das olimpíadas, que… (∞) … e talvez seja melhor não estender mais a lista. Nas ações do governo eu já deixei de acreditar, mas o BC ainda acho que pode manter a reputação conquistada até agora, basta dar sinais mais claros e se comunicar melhor sobre os objetivos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: