Publicado por: Guilherme Byrro Lopes | 03/12/2013

O PIB do 3º Tri (parte 1)


Os dados do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre de 2013 foram divulgados recentemente e apontam um recuo de 0,5% em relação ao trimestre anterior e 2,2% de crescimento frente ao 3º tri de 2012. Em geral, há muitas formas de ver o mesmo resultado, de comparar com períodos diferentes e assim sustentar um ponto de vista desejado pelo portador da notícia. Como então podemos interpretar esses resultados divulgado em relação ao PIB?

De forma prática, das muitas possíveis formas de dizer a mesma coisa, selecionei algumas na tabela abaixo. Há que se ressaltar que apesar dos muitos números, cada um apresenta diferentes conclusões e é isso que pretendo explorar nesse post.

A primeira linha apresenta o resultado do PIB acumulado no ano, ou seja, os 3 primeiros trimestres de 2013 contra os 3 primeiros trimestres de 2012, que aponta um crescimento da economia de 2,4%. É por esse motivo que as principais projeções de mercado apontam para um crescimento de 2,5% em 2013. Se o PIB não crescer nada no último trimestre, já deve apresentar um crescimento de 2,3% em relação a 2012 (com base nos valores encadeados, não correntes). Esse resultado é próximo do que também se observou no 2º Tri de 2013 e superior ao 1º Tri de 2013, indicando que a “velocidade de cruzeiro” da economia é algo em torno de 2,5%.

A segunda linha, ao invés de pegar o acumulado no ano, apresenta os resultados dos últimos 4 trimestres frente aos 4 trimestres anteriores. Não é de se espantar que no 4º tri de cada ano o resultado é idêntico ao da linha anterior. Em média, desde o 3º Tri de 2009 há uma ligeira recuperação das taxas de crescimento, mas a ritmos decrescentes de melhora. Isso indica que a aceleração do crescimento é cada vez menor, logo que estamos perto de um “caminho de crescimento equilibrado” que segundo a tabela e as projeções de mercado, caminha para algo em torno de 2,5%, como já dito antes.

A terceira linha compara o crescimento anual médio nos últimos 8 trimestres em relação aos 2 anos anteriores. O valor de 1,6% nos últimos 3 trimestres refletem o fato da economia estar crescendo pouco nos últimos anos. Como essa medida é influenciada muito pelos períodos passados e menos pelos períodos mais recentes, essa taxa de crescimento é inferior as 2 apresentadas anteriormente. O que de fato pode ser extraído dessa leitura é que há um desempenho fraco da economia nos últimos 2 anos. Na medida em que novos dados forem divulgados, esse indicador deve e melhorar.

Na quarta linha, é apresentado o resultado individual do trimestre frente ao mesmo trimestre do ano anterior, que é uma medida diferente do acumulado no ano ou nos 4 trimestres, da primeira e segunda linha. O crescimento de 2,2% em relação ao terceiro tri de 2012 é importante e mais uma indicação que a economia deve estacionar em um valor de crescimento em torno de 2,5% (margem média, mas com alguma margem de erro). O resultado é mais baixo do que havia sio registrado no segundo trimestre do ano, em que a economia havia crescido 3,3% em relação a 2012.

Na quinta linha esse último resultado pode ser visto também melhor, uma vez que a economia encolheu 0,5% em relação ao trimestre anterior. O que isso quer dizer? Que o segundo tri foi mais forte e puxou pra cima o resultado, mas que, na margem, o recuo da economia é preocupante. Os últimos 2 resultados citados apontam para perda de dinamismo da economia, em que o PIB frente ao ano anterior cresce menos e recua frente ao trimestre anterior. Ao se olhar os mesmos dados no 2º tri, parecia que a economia ia dar uma melhorada, o que não aconteceu!

Por fim, a última linha é uma particularmente muito divulgada internacionalmente. Pega-se a taxa de crescimento trimestral frente ao trimestre anterior e anualiza-se (é quase equivalente a multiplicar por 4, para contabilizar o que seria da economia crescendo 4 trimestres no mesmo ritmo. Na última divulgação do PIB, do segundo trimestre, foi muito aplaudido e comemorado pelo governo o crescimento de 1,8% no trimestre, que equivale a um crescimento de 7,2% anualizado. O Ministro da Fazenda até chegou a comparar esse resultado com a taxa chinesa de crescimento, mas cadê o discurso agora? Fazendo a mesma conta, “comemoraríamos” uma taxa anualizada de decrescimento da economia de 1,9%.

Resultados - PIB 3T 2013

Resultados – PIB 3T 2013

Há muitas formas de ver a mesma informação, como pode-se notar. Conclusões gerais são que o PIB caminha (por inércia dos resultados anteriores) para um resultado no ano em torno de 2,5% em 2013, que não precisa ser mágico para ver que já está dado. Acertar o PIB com 3/4 dos resultados é mais fácil do que acertar qual vai ser o PIB de 2014, por exemplo. Na margem, o PIB caiu, mas deve se recuperar no 4º trimestre (sem grades surpresas), que é sempre mais forte. Vale dizer que no resultado para o próximo trimestre há que se considerar um patamar de taxa de câmbio mais depreciada e uma taxa de juros mais alta, que devem ser carregadas também para 2014, que não deve ter resultados muito positivos ainda no primeiros trimestres. Nos próximos posts apresento melhor os dados abertos do resultado do PIB no terceiro tri de 2013 (parte 2 – link, parte 3 – link, parte 4 – link, parte 5 – link)


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: