Publicado por: Guilherme Byrro Lopes | 23/09/2014

Passe Brasil


pass_stamp(A) – Olha o Passe, olha o Passe! Aproveite, oferta única! Aqui comigo tem desconto!

(B) – Moço, o que você está vendendo?

(A) – O Passe Brasil! Você não sabe o que é o Passe Brasil? É a última novidade, se levar agora eu faço um preço camarada pro senhor.

(B) – Mas o que é esse Passe Brasil? Você pode me explicar?

(A) – Olha ali, você está vendo aquele país tropical? Ali é uma terra “abençoada por Deus” e “bonita por natureza”, como diz a música meu senhor. Ali tem futebol, tem praia, tem mulher bonita, todo fevereiro tem carnaval, não tem como não gostar do Brasil. Você não vai se arrepender se comprar comigo agora o Passe Brasil. Só porque é o senhor eu faço um preço bom.

(B) – Mas se eu comprar, o que eu ganho com isso?

(A) – O senhor vai poder entrar e viver o resto da vida no Brasil. Ganha um CPF, RG em qualquer estado, CNH, títulor de eleitor, um monte de benefícios.

(B) – Que benefícios?

(A) – Olha, no Brasil você vai ter direito a saúde e educação universal! Sabe o que é universal? É para todos, sem discriminação! Você já foi em festa open bar? É igual festa open bar, é tudo grátis! Pra você, sua mulher, seu filho, a filhinha….

(B) – Poxa, isso parece bom, mas….island

(A) – Deixa eu terminar moço. Além disso, você vai poder ter transporte público, segurança, habitação, água e coleta de esgoto, luz, inúmeras opções de lazer  e entretenimento e, quando se aposentar, nós damos dinheiro a você.

(B) – Isso tudo que tem ai dentro? Você tem certeza?

(A) – Tenho certeza, eu estou nesse emprego a muito tempo e posso garantir que isso tem. É o que meu chefe sempre me diz.

(B) – Então eu vou querer entrar sim, vou comprar o Passe Brasil. Me parece que…

(A) – Ah, mas pra entrar tem que pagar, meu senhor.

(B) – Mas não era tudo de graça?

(A) – É sim, tudo gratuito meu senhor. Mas tem que pagar pra entrar.

(B) – Mas…

(A) – Depois que pagar, vai ter educação e saúde de graça, mas quando estiver lá dentro. Como eu disse, igual a festa open bar.

(B) – E quanto eu tenho que pagar pra entrar?

(A) – Depende de quanto você ganhar e quanto você consumir.

(B) – Mas eu não pago só quando eu entro?

(A) – Sim, você paga na entrada.

(B) – E pago mais depois?

(A) – Só se consumir algo, tem que pagar um adicional. São os impostos.spanish-tax-office-shaking-down-property-purchaser-clipart

(B) – Mas não era igual festa open bar? Não paga só na entrada?

(A) – Ah, lá dentro tem muita coisa gratuita, meu senhor, nem vai precisar se preocupar com isso. Só se consumir uma ou outra coisa a mais.

(B) – Então tudo que eu consumir eu tenho que pagar?

(A) – Sim, isso.

(B) – Mas não era tudo gratuito?

(A) – Sim, a saúde, a educação a segurança… Mas outras coisas tem que pagar. E tem o adicional no preço, que é o imposto, É um pouquinho a mais.

(B) – Entendi, acho. Então se eu comprar um carro ou uma casa ou apartamento no Brasil, eu pago imposto ao comprar.

(A) – Exatamente.

(B) – E depois não pago mais, certo?

(A) – Ehr…, paga sim.

(B) – Mas como assim, eu não já paguei quando comprei?

(A) – Sim, pagou.

(B) – E depois?

(A) – Depois paga um pouco por ter o carro ou residência. É um imposto sobre a propriedade. É um outro tipo de imposto.

(B) – Eu pago porque tenho algo?

(A) – Sim, isso.

(B) – Mas não era gratuito?

(A) –  Sim, a saúde, a educação a segurança… O carro não, porque é seu e você não vai dividir com ninguém. Não é um bem público, senhor.

(B) – Esse Passe Brasil vale mesmo a pena? Me parece que está ficando um pouco complicado.

(A) – Vale muito a pena, meu senhor. Te garanto que não vai se arrepender.

(B) – Me vê um desse Passe Brasil então, vou experimentar.

VENTAS-B2B-3

(A) – Agora o senhor já pode entrar, é por aqui.

(B) – Ah, muito bom esse lugar. Acho que vou gostar aqui.

(A) – Não vai se arrepender meu senhor.

(B) – Ei, aquilo ali o que é?

(A) – Ah, é a ala VIP.

(B) – Mas qual a diferença?

(A) – Ali tem que pagar pra entrar.

(B) – Mas não era tudo gratuito?

(A) – Aqui embaixo é tudo gratuito sim. Ali em cima é outro preço.

(B) – E o que tem ali em cima? Porque aquelas pessoas estão mais bem vestidas?

educacao(A) – Ah, ali em cima tem educação.

(B) – E aqui embaixo?

(A) – Aqui tem também.

(B) – E qual a diferença então?

(A) – Ah, lá em cima, depois que paga pra subir, a educação é um pouco melhor do que embaixo.

(B) – Mas se é gratuito para todo mundo, qual o sentido de pagar mais?

(A) – São pessoas que preferem pagar mais para uma qualidade melhor. Gente fresca, senhor, sabe? Que não estão satisfeitos.

(B) – Essas pessoas podem usar o que é gratuito então?

(A) – Claro que podem. Não sei mesmo porque não usam.

(B) – Mas nas escolas públicas cabem todas as crianças?

(A) – Cabem as que estão hoje, senhor.

(B) – E aqueles que pagam, se fossem estudar, caberiam?

(A) – Ah senhor, não sei. Vai ver esse é o motivo para pagar.

(B) – Mas eles poderiam usar, certo?

(A) – Claro senhor, é gratuito e para todos.

(B) – Mas se todos usassem, não caberiam, certo?

(A) – É, talvez, senhor. Eu não sou bom com números pra fazer essa conta.

(B) – E ali, atrás daquele vidro? Porque tem alguém barrando os outros pra entrar? O que é?

8529398-

(A) – Ah, ali também é uma área VIP.

(B) – Mais umas?

(A) – Atrás daquele vidro fica o pessoal que quis pagar um pouco mais por segurança. É vidro a prova da bala, frescura, sabe senhor?

(B) – Mas vidro a prova de bala?

(A) – Isso, tem gente que tem medo de perder as coisas que comprou. As vezes some uma coisa aqui ou ali, alguém toma, sabe?1105132-Clipart-Buff-Bank-Robber-Holding-A-Money-Bag-And-Pistol-Royalty-Free-Vector-Illustration

(B) – Mas a segurança não é gratuita?

(A) – É gratuita sim, como eu te disse senhor.

(B) – E como essas coisas somem?

(A) – Ah, sabe como é senhor, não dá pra vigiar todo mundo né. Aqui é muito grande.

(B) – Então tem gente que paga a mais para a educação e para a segurança?

(A) – O senhor é muito observador. Tem algumas pessoas que pagam mais sim.

(B) – E tem mais alguma coisa que as pessoas pagam aqui?

(A) – Ah, tem de tudo, senhor. Você pode pagar o que quiser.

(B) – Das coisas que eram gratuitas.

(A) – Ah, pode pagar a saúde se quiser, senhor.doctor-cartoon

(B) – Mas é gratuita?

(A) – É gratuito e para todos!

(B) – E tem gente que paga? Como assim?

(A) – Senhor, tem gente que é fresca, sabe. Quer pagar educação, segurança, saúde, tudo a mais. Eles querem mais do que os outros e dai pagam por isso.

(B) – Eu não consigo entender isso. Então quer dizer …

(A) – Senhor, se o senhor pagar mais, pode ter mais. É assim que funciona aqui dentro.

(B) – Mas não era tudo gratuito? Não foi o que você me disse?

(A) – Isso mesmo, senhor.

(B) – Ah, eu não vejo motivos então para pagar mais pelas coisas. Já que é tudo gratuito. Se eu precisar de um médico, posso ir no médico; se precisar de professor, vai ter na escolar; se tiver bandido, vai ter policial, não é isso ?

(A) – Isso mesmo, senhor. Essa é a ideia.

(B) – Então não preciso me preocupar, não é isso?

(A) – Erh… você de que decide senhor.

(B) – Como assim?

(A) – Bom, eu confesso que pago a mais também. Sabe, se for procurar um médico, nem sempre ele está lá. Ou pode demorar muito tempo para conseguir um atendimento, as vezes não dá. Quer dizer, dá, mas se pagar é mais rápido.

(B) – Você diz isso pra saúde, mas…

(A) – Vale também pra educação, senhor. Meus meninos estão na escola privada pois tem uma educação melhor, o professor vai todo dia, vai conseguir entrar na faculdade e ter um emprego bom. Sabe como é né? E eu também moro num condomínio que tem segurança privada também. Senhor, não dá pra vacilar né. Tá perigoso o Brasil. Explosão de caixa eletrônico, sequestro relâmpago, roubo, tiro, intolerância. Não tá fácil!

cartoon-gangs-last-episode_5138320931_o

(B) – E as coisas gratuitas, não funcionam?

(A) – Senhor, essas coisas que são de graça não são muito confiáveis, sabe? Até funciona, mas não é sempre. Sabe, tem lugar que não tem médico ou professor. Tem bandido que fica solto, pois é difícil de investigar o crime. O transporte público não chega a todo lugar. A mesma coisa acontece pra luz, água, esgoto, sabe, senhor? Não chega a todo lugar, então se pagar um pouco mais, dá pra conseguir coisa melhor.

(B) – Entendi, acho.

(A) – Então pra ter algo bom, tem que pagar, senhor. Eu esqueci de te avisar antes. Mas não falei nenhuma mentira. O resto continua gratuito, senhor.

(B) – E pra pagar mais então pela educação, saúde… Tem que pagar também imposto?

(A) – Claro, senhor. Tudo o que consumir aqui dentro tem imposto.

cartoon_rich_white_man_0521-1011-0416-3143_SMU(B) – E esse imposto… para onde vai?

(A) – Ah senhor, pra poder pagar a saúde, educação, por exemplo, e os salários das pessoas que fazem a gestão disso.

(B) – Então a educação não é gratuita, é?

(A) – É sim, senhor. Você não paga nada.

(B) – Mas eu pago os impostos, não?

(A) – …

(B) – E os impostos servem pra pagar essas coisas gratuitas, não?

(A) – Olhando dessa forma…

(B) – E depois eu pago mais ainda para ter uma educação, saúde e segurança melhor, não?

mocking(A) – O senhor é muito esperto, senhor. Eu nunca pensei muito sobre isso.

(B) – Então eu pago duas vezes pela mesma coisa. Uma que eu não uso pois é ruim e a outra que resolve meus problemas, não?

(A) – Me parece que é isso, senhor.

(B) – Além do mais, se eu fosse usar o que você diz que é gratuito, que convenhamos já foi pago com os impostos de todos, seria ainda pior do que é, pois não comportaria todo mundo, não?

(A) – É, já não comporta todo mundo nem hoje, pra ser sincero, senhor.

(B) – Então, esse passe Brasil que você me vendeu não é tão bom assim. Eu tive que pagar na entrada, pago para consumir, pago se tiver alguma propriedade e ainda tenho que gastar duas vezes com o mesmo serviço pois a parte que é gratuita, que eu paguei com os impostos, não funciona. É assim o Passe Brasil?

(A) – É mais ou menos isso, senhor. Eu não posso criticar muito pois trabalho com isso, mas visto dessa forma, acho que o senhor pode dizer isso.

(B) – Então de festa open bar, não tem nada aqui. Tudo é pago e algumas coisas são pagas duas vezes?

(A) – É uma forma de ver, senhor. Eu prefiro ver da outra forma.

(B) – Mas dá no mesmo, é só uma questão de fechar os olhos, não?

(A) – Erh, ah senhor, você deixa tudo muito complicado. Eu não pensava assim como você antes. Mas acho que faz sentido sim.

(B) – Sabe… eu acho que quero vender esse Passe Brasil.

(A) – …

(B) – Tem como devolver?

(A) – …

(B) – Ei, me responde. Porque você não olha pra mim? Mas… o que é isso? Para onde ele foi?João-Bobo-Galvão-Bueno


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: