Publicado por: Guilherme Byrro Lopes | 28/03/2016

Brasil – Uma perspectiva para 2016/17 (Update Mar/16)


Leia maisEXPECTATIVAS DE MERCADO (Updates)

De acordo com a pesquisa das expectativas do mercado, realizada pelo Banco Central do Brasil (BCB) com expectativas até 24/03/16, o cenário de crescimento econômico é péssimo. As expectativas de mercado no início de 2014 para o crescimento do PIB em 2016 se encontravam próximas de 3,0% (que era uma expectativa do PIB potencial na época). Para 2017 o cenário era parecido, projeção de crescimento de 3,0%.

Contudo, a piora contínua da condução da política econômica e o acumulo de erros, resultou na mais grave crises fiscais o país. A inaptidão de sair da crise econômica também somada a inaptidão de governar o país resultou numa das mais graves crises políticas da história recente. Em 2014 o país ficou estagnado e em 2015 o PIB caiu 3,8%, ou seja, estamos perdendo produção e renda.

Nessa toada, em 2016 a economia deve cair mais 3,7% (em cima de um resultado já negativo de 2015). Com sorte 2017 não será mais um ano de crescimento negativo (ou seja, retração). Apesar disso, essa sorte tem sido revisada a cada desastre econômico e político, como mostra o gráfico abaixo. “Nunca antes nesse país…” tivemos uma combinação de resultados econômicos tão ruins para o PIB.

pib_anual_20160328

  • Agropecuária

Na perspectiva setorial, apenas a agropecuária “salva”. O setor concentra principalmente as commodities agrícolas e que estão com preço em alta no mercado externo. Destaca-se o milho, soja, a cana de açúcar (que apesar de ser utilizada para produção de etanol também está sujeita a preços internacionais de açúcar), café, arroz, laranja, carnes e, se quiser, inclua a mandioca ou faça uma saudação à ela. Pelo lado ruim, o setor corresponde por apenas 4,5% da produção do país e é altamente concentrada em grandes produtores.

pib_agro_anual_20160328.png

  • Indústria

Na contramão do que se esperaria de um governo em prol dos trabalhadores, a indústria caminha para um cenário de consolidação de 4 anos (4 ANOS!!!!!) de crescimento negativo. Isso quer dizer, retração da produção e fechamento de fábricas. Já são 7% de queda nos últimos 2 anos e espera-se mais 6,2% de queda em 2016 e 2017 somados. O país não tem uma política industrial e está perdendo empregos importantes para se quer pensar em retomar o crescimento econômico.

pib_industria_anual_20160328.png

Vale destacar que a Indústria Extrativa (+8,6% em 2014 e 4,9% em 2015) ameniza esse resultado ruim, apesar de ser um momento péssimo para commodities metálicas. A Indústria de Transformação (-3,9% em 2014 e -9,7% em 2015) é a maior prejudicada da falta de um projeto de país. A Construção (-0,9% e 7,6%, na mesma comparação)  também sofre com a falta de política de longo prazo, uma vez que houve retração do crédito, aumento dos juros e piora geral das condições de novos empréstimos, além da inflação alta e perda de renda das famílias.

Assim, sem perspectiva, não há como argumentar sobre perspectiva. Sem otimismo e sem solução de crises, sem propostas eficientes, não dá pra ser animador em relação às expectativas.

  • Serviços

Por fim, o segmento de Serviços, responsável por 61,7% do PIB, caminha na mesma direção do abismo da indústria. Apenas o comércio registra queda de 8,9% em 2015, que puxa a queda do setor como um todo. Sem comércio, as atividades logísticas e de transporte também recuam, com resultado de -6,5% em 2015.

Em 2016 o cenário para o setor ainda é de retração econômica. Isso quer dizer mais desemprego, menos renda para famílias, mais dificuldade para todos. Espera-se que 2017 possa estabilizar essa situação ruim. Para compensar a queda do PIB de 2015 e 2016, mantendo o ritmo de crescimento de 2017, vamos demorar talvez 2 décadas para voltar aos níveis de 2014.

pib_servicos_anual_20160328.png

Não é a toa que essa será uma década perdida. Para os próximos anos, espera-se uma piora da situação atual. É desanimador um país com um potencial como o Brasil, apresentar resultados tão ruins por conta de uma irresponsabilidade fiscal, mas é a escolha que o país fez. O preço estamos pagando agora, todos juntos. Talvez 2017 seja um ano menos ruim, pois 2016 já é um ano de fracasso, antes mesmo de começar. O Brasil tenta dar um passo ao futuro mas parece dar dois passos ao passado e é por isso que sempre seremos o país do futuro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: