Publicado por: Guilherme Byrro Lopes | 31/03/2016

Enquanto isso no mundo real… (2)


Dando continuidade ao post anterior, Enquanto isso no mundo real…, é possível também destacar quem mais perde com essa queda no número de empregos no país. Como já havia sido mostrado (aqui), o número de postos de trabalhos perdidos nos últimos 12 meses somam 1,7 milhão.

Abaixo são apresentadas 4 formas de ver o mesmo resultado, diferenciando os setores (segundo a classificação do IBGE) e 4 agregações diferentes dos grupos de trabalhadores: idade, educação, faixa de salários e tempo de trabalho. A formatação é apenas indicativa de quem está pior ou melhor, mas não quer dizer que estar melhor é um resultado positivo na geração de empregos, apenas uma divisão estatística de percentil.

  • Faixa Etária

Considerando a idade dos trabalhadores, o grupo que mais perde empregos está na faixa dos 30 a 39 anos. Destaca-se (de forma negativa) a destruição de postos de trabalho especialmente na indústria e no setor de serviços. Também nesses setores o grupo de 40 a 49 anos mostra recuo do nível de emprego. Assim sendo, os mais prejudicados situam-se na faixa dos 30 a 49 anos e nos segmentos que mais empregavam.

emprego CAGED 12 meses 201602 faixa etaria(clique para ampliar)

Em contrapartida, os jovens de até 17 estão conseguindo mais emprego (possivelmente por conta de menores salários dos que os que foram demitidos). O jovens de 18 a 24 anos, nos  setores de comércio e serviços também se destacam com novos empregos, apontando que parte da perda de vagas de trabalho os trabalhadores mais velhos acaba sendo preenchida por trabalhadores mais novos e mais baratos.

  • Grau de Instrução

Em relação à educação desses mesmos trabalhadores, apenas a Agricultura (e etc.) está criando novos postos de trabalho. Os trabalhadores com Ensino Médio Completo são os que mais sofrem, sobretudo na Indústria. A destruição de postos de trabalho dos trabalhadores mais qualificados é um pouco menor do que nos demais graus de instrução, mas isso pode ser também por conta de haver menos vagas para serem extintas.

emprego CAGED 12 meses 201602 grau instrução(clique para ampliar)

  • Faixa Salarial (em SM)

Corroborando a visão de que os empregos com salários menores estão sendo criados, parcialmente substituindo os que foram extintos, a geração líquida de postos de trabalho de até 1 Salário Mínimo é positiva. Enquanto isso, trabalhadores que ganham de 1 a 3 salários mínimos, principalmente na Indústria, na Construção Civil e nos Serviços estão sendo mais prejudicados que os demais, mostrando que o problema do desemprego atinge principalmente o trabalhador que já ganha menos.

emprego CAGED 12 meses 201602 faixa salario minimo(clique para ampliar)

  • Tempo de trabalho (em meses)

Por fim, as demissões líquidas concentram-se também nos trabalhadores que tem menor tempo de emprego, até 24 meses (ou 2 anos). Esse é o trabalhador que conseguiu um emprego recentemente e já está perdendo a vaga de trabalho. As admissões somam 16 milhões, mas as demissões superam as admissões em 1,7 milhão, como mostra a tabela. Os que tem mais tempo de casa duram mais em seus empregos.

emprego CAGED 12 meses 201602 faixa tempo emprego(clique para ampliar)

 

 


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: